A família Grilo vai embarcar em um veleiro e se lançar ao mar apenas com o ponto de partida. Uma aventura onde tudo é possível!

Siga o Bora:

EnglishPortugueseSpanish
Top
Image Alt

Bora

Diário de Bordo #4 – Como conseguimos viajar com a Lola?

Quando decidimos mudar nossa vida e embarcar em uma viagem sem data para terminar, sabíamos apenas que iríamos todos da família. Incluindo a Lola, nossa labradora de 6 anos nascida na Costa Rica, igual a Lulu. Como você já sabe, nós fomos para o Caribe, compramos nosso barco, testamos nosso barco, mas ficou faltando uma tripulante: a nossa mascote.

Lola na escala no aeroporto de Miami

Levar a Lola com a gente foi um decisão muito fácil de ser tomada, só não imaginávamos como seria difícil conseguir. A quantidade de documentos e papéis necessários para a viagem dela é imensa e deu muito trabalho tirar tudo isso. E quem foi a salvadora da pátria? Isso mesmo, a Fer. Foram 4 meses correndo atrás de tudo que era necessário para o embarque.

Segue a lista de tudo que precisamos para levar nossa cachorrinha com a gente:

– Passaporte (com foto e tudo! Pode ser usado durante toda a vida do animal);

– Import Permit;

– Sorologia da raiva (precisa ter 90 dias de quarentena);

– Vacinas;

– Vacina de Leishmaniose (porque não sabíamos por onde iríamos passar);

– Microchip;

– Certificado do veterinário (é preciso ser emitido antes de cada viagem);

– Certificado sanitário que é necessário tirar no aeroporto;

– Permissão da ilha para a entrada;

– Suprimento da ração;

– Coleira e guia.

Lola embarcando no avião

Além disso tudo, demos um remédio para acalma-la para a viagem. Não podemos reclamar, ela se comportou muito bem! Dormiu um pouco e curtiu a viagem deitada nos pés das meninas. Achamos até um parque no meio do aeroporto de Miami (uma de nossas escalas) para ela passear um pouco.

Encontre a Lola

Lolinha comportada demais!

Parque que encontramos no meio do aeroporto de Miami

Quando a Lola chegou, tivemos ainda que descobrir uma forma de colocá-la no barco, já que não tinha por onde ela subir. Tentamos uma trilha de madeira, conforme visto no episódio 8 do #SVBORA. Hoje ela já consegue subir sozinha.

Ainda estamos aprendendo sobre a entrada da Lola nas ilhas. Na maioria delas é fácil. Ela só precisa ser examinada por um veterinário local. Porém algumas ainda proíbem sua entrada. Em uma delas chegamos até a ser ameaçados – um dos guardas disse que atiraria nela caso ela descesse. Apesar de tudo isso, é visível a alegria dela em passar 100% do tempo com a gente.

Lola passando pelo veterinário de St. Marteen

Lola o barco de frutas em Anguilla

O Bora já tem sua nova tripulante

 

Comments

  • Thaís
    11 de setembro de 2018

    Gostaria de saber qual empresa aérea para viajar com a cachorra junto com vocês? Minha cachorra tem problema, tenho dó de colocar no bagageiro…

    reply

Post a Comment