A família Grilo vai embarcar em um veleiro e se lançar ao mar apenas com o ponto de partida. Uma aventura onde tudo é possível!

Siga o Bora:

EnglishPortugueseSpanish
Top
Image Alt

Bora

Diário de Bordo #18 – Manutenções

Por Luciano Grilo

Quando eu coloquei os pés no Bora, não trocava uma lâmpada dentro de casa. Não porque eu não sabia, mas eu não tinha o hábito de fazer. Nunca me envolvi nas questões de manutenção, sempre existiu alguém mais especializado que eu. 

Não imaginávamos o que nos esperava no barco. Aqui, as manutenções são quase diárias, já que  existem dois tipos: a preventiva e a corretiva. A corretiva é a pior delas, porque é quando algo algo já deu problema e não existe outra forma de resolver senão a manutenção. Já a preventiva é a mais trabalhosa, porque precisamos consertar aquilo que ainda nem quebrou. Trocar algum equipamento que já não está 100%, óleo antes de acabar ou vazar, aparelhos antes de dar defeito. 

Tive aqui o problema do watermaker, que eu não fazia ideia de como arrumar. Tive que aprender, senão o barco ficaria sem água doce e esse é um dos piores problemas possíveis (ainda mais com crianças e cachorro à bordo).

DEU PAU NO MOTOR!

 

Teve também quando quebrei o guincho da vela. E como esquecer do dia que um cabo estourou parcialmente durante uma tempestade em uma travessia e eu tive que cortá-lo em segundos?

ARREBENTOU O CABO DA VELA!

 

Além do dia que o cabo enroscou no motor e o barco não ia nem pra frente e nem pra trás.

DEU PAU NO MOTOR!

 

Esse é o tipo de manutenção que, obviamente, não é desejada. A intenção é sempre fazer a preventiva antes, de modo que a corretiva não precise acontecer.

As manutenções preventivas são, de uma forma geral, ligadas à vela, aos motores e ao gerador. Eu mesmo troquei o óleo e os filtros do gerador há pouco tempo. Foi difícil e demorado, mas não estava saindo água. Depois descobri que tinha uma alga presa ali. Dou mais atenção aos motores, que em hipótese alguma podem ser esquecidos.

O meu maior problema agora é o Borinha. Preciso dar mais atenção a ele. Ainda não quebrou, mas a manutenção preventiva é essencial.

Uma coisa que aprendi e faço muito (não só eu, todos os velejadores) é: deu problema, leia o manual. Pode ser uma pesquisa na internet também, mas o manual é sempre o melhor caminho. Tudo que a gente precisa saber sobre tudo está no manual. Eu nunca li um manual na minha vida, agora leio até para conseguir tirar o gaveteiro da geladeira para poder lavar. 

Para viver em um barco, não é necessário ser expert em mecânica ou elétrica. É necessário apenas ter muita boa vontade para aprender e buscar respostas. Afinal de contas, quer moleza vai passear na Disney (um dos melhores lugares do mundo, confesso!). Velejar é trabalhoso e necessita de força de vontade pra aprender, não dá pra ter preguiça.

Post a Comment